Alagoas fica com a maior nota do Nordeste no IDSUS

Presidente do Cosems/AL parabeniza o esforço dos municípios para levar saúde aos alagoanos

Criado pelo Ministério da Saúde, o Índice de Desempenho do SUS (IDSUS 2012), ferramenta que avalia o acesso e a qualidade dos serviços de saúde no país, divulgou na última semana, a avaliação feita nos municípios brasileiros entre os anos de 2008 e 2010 nos diferentes níveis de atenção, para verificar como está a infraestrutura de saúde para atender a população, e se os serviços de atenção básica, especializada, ambulatorial e hospitalar e de urgência e emergência têm capacidade de dar as melhores respostas aos problemas de saúde dos usuários do Sistema.

Na classificação geral divulgada pelo Ministério, Alagoas atingiu a média de 5,43, ficando na primeira colocação entre os estados do Nordeste com a maior nota na avaliação. A nota do Estado foi motivo de comemoração para o presidente do Cosems de Alagoas, e secretário de Saúde de Quebrangulo, Pedro Madeiro. “Parabenizo todos os municípios pela construção do maior índice desempenho do Nordeste. Mesmo sofrendo com o desfinanciamento do SUS, os gestores estão empenhados em oferecer o melhor atendimento à população”, declarou. Madeiro explicou ainda que o índice servirá de referência para melhorar a oferta e o acesso aos serviços de saúde a todos os alagoanos.

Modelo de avaliação - O índice avaliou com pontuação de 0 a 10 municípios, regiões, estados e país com base em informações de acesso, que mostram como está a oferta de ações e serviços de saúde, e de efetividade, que medem o desempenho do sistema, ou seja, o grau com que os serviços e ações de saúde estão atingindo os resultados esperados. O IDSUS é formado por seis grupos e leva em consideração a análise concomitante de três índices: de Desenvolvimento Socioeconômico (IDSE), de Condições de Saúde (ICS) e de Estrutura do Sistema de Saúde do Município (IESSM).

Critérios – O Índice de 2012 é o resultado do cruzamento de 24 indicadores, (14 para avaliar o acesso e 10 para medir a efetividade dos serviços). No acesso é avaliada a capacidade do sistema de saúde no cuidado necessário à população em tempo oportuno e com recursos adequados. Entre esses indicadores estão à cobertura estimada de equipes de saúde; a proporção de nascidos vivos de mães com sete ou mais consultas pré-natal; e a realização de exames preventivos de cânceres de mama, em mulheres entre 50 e 69 anos, e de colo do útero, na faixa de 25 a 59 anos.

Já na avaliação que verifica se o serviço foi prestado adequadamente, constam itens como a cura de casos novos de tuberculose e hanseníase; a proporção de partos normais; o número de óbitos em menores de 15 anos que foram internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI); e o número de óbitos durante internações por infarto agudo do miocárdio.

O levantamento de dados para divulgação do IDUS 2012 será realizado a cada três anos. Desde a idealização até a fase de finalização, o índice foi construído com a participação de vários segmentos do governo, técnicos, acadêmicos e com a participação e aprovação do Conselho Nacional de Saúde. O IDSUS 2012 está disponível para consulta de toda a sociedade pelo endereço www.saude.gov.br/idsus.

ASCOM / COSEMS

Veja Mais