Municípios

Santana do Ipanema

População: 47.352 habitantes

Localização: Fica situado no Sertão de Alagoas. Possui 437,88 km2 de área. Fica 207 km quilômetros de Maceió.

Geografia: A cobertura vegetal do município é do tipo caatinga, acostumada com incidência de pouca chuva. O clima nessa mesorregião é Tropical semi-árido, com precipitação irregular de chuvas. E umidade relativa do ar baixa. A hidrografia do município de Santana do Ipanema é formada por lagoas e rios temporários. O rio Ipanema é o mais importante acidente geográfico da região. Ele representa as típicas correntes sertanejas e reúne forças nos seus afluentes e subafluentes da sua extensa bacia.

Histórico: A história de Santana do Ipanema conta que, no final do século XVIII, a atual cidade não passava de um arraial, habitado por índios e mestiços e se deve a chegada do fazendeiro Martinho Rodrigues Gaia e o Padre Francisco José Correia de Albuquerque.

O padre Francisco José Correia de Albuquerque, natural de Penedo, chegou no local em 1787  e foi o responsável pela catequização dos índios e pela construção da primeira igreja. De início ficou hospedado na residência de seu amigo Martinho Rodrigues Gaia.

Os três irmãos Martins e Pedro Vieira Rêgo, descendentes de portugueses e vindos da Bahia, chegaram à ribeira em torno de 1771, quando no Brasil governava o vice-rei D. Antonio Rolim de Moura.

Eles foram beneficiados pelo rei com uma sesmaria, instalando-se perto da Ribeira do Panema (próxima às serras da Camonga, Caiçara e Gugy), rodeado por elevações naturais como os serrotes do Pelado, do Gonçalinho e da Goiabeira; e a serras Aguda, da Remetedeira, do Poço, da Camonga e dos Macacos, transformando suas terras em grandes fazendas e tornando-se os primeiros colonizadores.

Martinho Rodrigues Gaia construiu a sede da sua fazenda em lugar aprazível à margem esquerda do rio Ipanema, a cerca de 200 metros do Poço dos Homens, no alto barranco do segundo patamar em ordem de afastamento do rio. Os fundos da casa-grande estavam voltados para o cenário do Panema. O lado esquerdo encontrava um declive que levava até à foz do riacho Camoxinga. O terreno plano da frente da casa dava acesso a um longo aclive e, a direita mostrava um plano com ladeira suave adiante.

No início do século XX, por volta de 1922, Adalberto Marroquim, em seu livro “Terra das Alagoas”, apresenta vasta notícia histórica acerca de Santana do Ipanema. Segundo esse autor, “a cidade sobre o Rio Ipanema é sede do 1º distrito judiciário e da freguesia do mesmo nome.

Por muito tempo Santana do Ipanema cultivou algodão, sendo um dos principais produtores do estado. Ao longo do tempo, seis paróquias desmembraram-se da secular freguesia da Ribeira do Panema, a qual pode ser considerada como uma igreja-mãe do sertão alagoano. Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído do distrito sede.

Eventos: Suas festividades mais tradicionais são: a Emancipação Política do Município (24 de abril), os festejos juninos, a comemoração do dia da padroeira Nossa Senhora Santana (25 de julho) e a Festa da Juventude (realizada no primeiro Domingo anterior à festa da padroeira) e o Santana Moto Fest (setembro) e a Festa do Padroeiro do bairro Camoxinga – São Cristóvão, com gigantesca procissão de veículos (início de outubro).

Os comentários estão encerrados.

Alagoas

Clique no mapa para escolher a sub-região e preencher a lista de municipios abaixo

Banner Lateral 4
Banner Lateral2
Banner Lateral 3
Banner Lateral 1